Arquivo da categoria: Consumo

Novos produtos engana-trouxa para perder peso

Tem mulher que acredita em cada coisa que fico até chocada. Nos Estados Unidos (onde mais?) a empresa Lytess lançou leggins de  diferentes tamanhos feitas com infusões de cafeína nos fios (oi?). Diz no site   que mulheres que usaram o produto 8 horas por dia (!) durante 21 dias (!) consecutivos perderam até 5 cm nos quadris e quase 3 cm nas coxas. Aí as gatas americanas compram aos montes e ficam o dia inteiro com essa porcaria no corpo. Até que o Good Morning America resolveu testar o produto. E (ah vá!) descobriu que não funciona.
Junto com a calça fantástica, o programa testou outra novidade do mundo do emagrecimento: uma cápsula de spas americanos da Planet Beach (que eu aposto que logo mais chega ao Brasil). A promessa é que se se você simplesmente deitar na cápsula por 30 min (e tolerar um calor de até 80 graus!) perderá 500 calorias. Diz o spa que o calor é suportado com facilidade porque o rosto das usuárias fica de fora de fora da super máquina. Mas especialistas dizem que você pode ter um infarto, sofrer desidratação profunda e ainda não perder peso algum fazendo isso.

O que as garotas aprendem com os games

A Wired publicou uma matéria falando das “lições ridículas” que as garotas aprendem com os games feitos exclusivamente para elas.  Tracey John se pergunta se os games fofos não podem ser tão ou mais preocupantes para os pais que aqueles que incitam violência e agressividade. Ela analisa alguns jogos criados para meninas de 8 a 12 anos – desenhados para fazê-las se tornar pequenas Barbies, modelos ou experts em moda e beleza. Vários estão disponíveis no Brasil. Escolhi só o top 3, pra não cansar a beleza de todo mundo:

The Clique: Diss and Make Up
 A jogadora é uma nova estudante em uma escola. Ela tem de conseguir chegar ao Pretty Comittee (o Comitê das Bonitas). Para isso, usar “fofoca, moda, e esperteza” . Coitadas das que não conseguirem.

My Boyfriend
As jogadoras escolhem roupas e maquiagem para sair, se exercitar e fofocar entre si enquanto tentam criar “a história de amor de seus sonhos”. Elas têm de escolher entre 5 garotos e tentar encontrar o “amor verdadeiro” em um deles. Nenhuma mulher pode ser completa sem um homem, é o que diz esse jogo.

 Princess in Love
Se você tinha dúvidas sobre a necessidade de um homem na vida de uma mulher, o Princess in Love está aí pra garantir que só o amor salva (e que é preciso muito trabalho para achá-lo) A ideia é vestir a princesa Isabella com roupas e acessórios, e ajudá-la a aprender boas maneiras e passos de dança. Quando ela conseguir fazer tudo isso, ela encontra o príncipe encantado.

———
Como nem tudo é de se jogar fora, a Wired identificou um jogo que parece bem legal para garotas.  O The Daring Game for Girls leva as meninas a fazer atividades como missões de espionagem, exploração em caverna, basquete etc. Também fala de mulheres famosas na história, e testa os conhecimentos com quizzes. As jogadoras que acumulam mérito nas atividades ganham viagens para Africa, Amazônia etc. Nada estereotipado, encoraja as meninas a irem atrás de aventuras. Mas será que alguém vai querer jogar?

O que aconteceu com os sutiãs sem bojo?

Esse é um post-protesto. Uns dois anos atrás a Lia Bock fez uma matéria para a revista Criativa contando como no Brasil é quase impossível se encontrar sutiãs sem bojo. Para completar, os dois ou três que existem por aí costumam ser modelos completamente sem graça. Ela conta na matéria como desde 2000 está acontecendo uma “bojolização” das peças femininas – o que não atinge países como a França, onde o seio natural é mais valorizado. Parece que as mulheres por aqui estão cada vez mais inseguras sobre seu corpo. Pra que isso, mulherada? A Lia na época lançou uma campanha anti-bojo. Decidi relembrar essa história porque esses dias saí com a minha irmã em busca de lingerie nova. E adivinha? Nada mudou.

O menino do esmalte rosa

  

          O anúncio acima, da marca J.Crew, deu o que falar essa semana lá fora.  O anúncio mostra a presidente e diretora criativa da marca Jenna Lyons. Ela aparece pintando a unha do filho com esmalte rosa, ao lado dos dizeres “veja como ela e seu filho Beckett aproveitam a folga com estilo”. A foto original também tem uma legenda em que Jenna diz “sorte minha ter um um filho que tem o rosa como sua cor favorita. Pintar as unhas dos pés é mais divertido em neon”. 
          Psiquiatras americanos disseram para a Fox News que isso é um exemplo de como a sociedade está provocando o abandono de toda a identidade de gênero. Dizem que esse menino pode sofrer no futuro por sua mãe estimular tal comportamento. Uma parte dos leitores do artigo concordou, outra foi contra. Uma leitora escreveu que não deveríamos forçar nossos filhos a se render aos estereótipos do azul e do rosa, outra acha que una mãe jamais deveria estimular um filho a pintar as unhas. E você, o que acha?

Orgasmo de mentira

Engraçada essa história de fingir orgasmo… Existe uma super pressão sobre mulheres (para terem orgamos incríveis toda vez que transam) e sobre os homens (para proporcionar tais orgasmos às mulheres e se sentirem super bons de cama). E como é impossível* isso acontecer toda vez , criou-se a bizarra cultura de fingir orgasmos, à qual praticamente toda mulher que eu conheço adere vez ou outra. Pra que isso hein, gente? 
         Chegou a ponto inventarem um aparelhinho que brinca com os orgasmos falsos. Vendido pela Amazon, o Sexy Orgasm Keychain geme alto por 22 segundos. Será que convence alguém?

* Alguns dados (em inglês) muito interessantes sobre o orgasmo feminino estão no site do programa do Dr. Phil, aquele psicólogo da Oprah. Pode confiar, eles têm base científica.

Maquiagem antiidade para crianças

Está prometida para chegar às prateleiras americanas hoje a controversa linha de maquiagem para crianças do Wall-Mart, a Geo Girl. É feita para meninas de 8 a 12 anos, e tem uma série de itens como batom, blush, rímel etc. etc. Até aí, nenhuma novidade. Quem nunca viu maquiagem pra criança para vender? Com nomes das princesas dos filmes e tal? Mas a Geo Girl tem duas novidades. A boa é que a marca diz ser feita com produtos naturais, que não fazem mal para as meninas. A ruim, que está causando indignação pelo mundo, é o fato de alguns de seus cremes conterem antioxidantes, conhecidos por retardarem o envelhecimento. Ai ai ai.

Latinha de dieta

Até as latinhas entraram oficialmente para a ditadura da magreza.  A Pepsi está lançando na semana de moda de Nova York uma latinha que além de diet, é mais “magra” que as habituais. Jill Beraud, chefe de marketing da Pepsico diz no release que “a lata esbelta e atraente é o complemento perfeito para os looks mais estilosos de hoje”.